Garganta

A especialidade

Amigdalites e faringites

As amigdalites e faringites são inflamações/infecções das
amigdalas e da e da mucosa da faringe respectivamente.
A grande maioria dessas infecções é ocasionada por vírus.

A parcela restante, muitas vezes é ocasionada também por vírus inicialmente e, em um segundo momento, acaba por infectar-se com bactérias. 

 

As amigdalites isoladas não constituem um problema de saúde grave. Entretanto a necessidade recorrente de uso de antibióticos, rendimento escolar e/ou laboral insatisfatórios devido à grandes abstinências frequentes e eventualmente abscessos (coleção de secreção purulenta ao redor da amigdala) com
necessidade de internação ou punção, levam a sérios transtornos para o paciente.

Sintomas

Quando a infecção é apenas viral, geralmente há odinofagia (dor de garganta), febre (pode estar presente ou não), otalgia (dor de ouvido), mal-estar e dor no corpo leves, associados à sintomas de resfriado (coriza, espirros, tosse). Quando há infecção bacteriana a odinofagia tende a ser mais intensa, com febre mais elevada, bem como mal-estar e indisposição severos e raramente estão associados a sintomas gripais. 

Tratamento

Se infecção viral, o tratamento costuma ser sintomático, com uso de analgésicos e anti-inflamatório. Quando há infecção bacteriana o uso de antibiótico se faz necessário.

Quando as infecções se tornam recorrentes é necessário investigar inicialmente se há alguma causa que predisponha a essas infecções (refluxo, imunidade baixa, por exemplo) e tratar a causa subjacente. Em casos selecionados a remoção cirúrgica das amigdalas pode ser uma opção de tratamento.  

 

Alterações da voz

 

Os distúrbios da voz são conhecidos como disfonias. Essas disfonias são ocasionadas por alterações das pregais vocais, as quais podem ser funcionais ou orgânicas. Nas alterações orgânicas há alguma alteração anatômica das pregas vocais (nódulo, cisto, sulco, pólipos, tumorações, paralisia). Nas disfonias funcionais a alteração é causada pelo uso incorreto da voz, ou do modo de projetar a voz, sem que haja uma alteração anatômica de fato.  Podemos ainda encontrar alterações vocais “normais” relacionadas à idade, como por exemplo, as alterações flutuantes da voz percebidas principalmente em meninos durante a adolescência (muda vocal) ou voz mais fraca ou mais rouca em idosos (presbifonia).
 

Alguns hábitos como o tabagismo, falar alto, gritar, uso da voz sem correto aquecimento (cantores ou professores, por exemplo) e doenças (refluxo farino-laringeo) podem predispor às disfonias. 

A suspeita diagnóstica inicial é realizado através de um exame chamado laringoscopia (com ou sem estroboscopia).

Sintomas
Rouquidão, pigarro, voz “fraca” ou soprosa, tosse, voz mais grave (grossa) do que costumava ser.


Tratamento

Dependendo da causa o tratamento pode ser com medicação via oral, fonoterapia, procedimento cirúrgico (microcirurgia de laringe, cordectomia, laringectomia) ou a combinação de mais de uma modalidade de tratamento. 

Faça o agendamento online. É fácil, rápido e seguro.

©  2018 Todos os direitos reservados a Dra. Emilly  Cristina de Bulhões.

  • White Facebook Icon

Tel: 011-5677-2232

Curta nossa página no Facebook.

Rua Eng Jorge Oliva, 342 - Vila Mascote, São Paulo, SP, 04362-060

  • Branca Ícone Instagram

Curta nossa página no Instagram.